Dúvidas Frequentes

O prazo poderá variar caso a caso, porém o módulo 3 do PRODIST define um prazo máximo para as concessionárias atenderem à Solicitação de Acesso (a ser enviada pela empresa contratada após elaboração do projeto completo). O prazo para instalação de sistemas de microgeração (com até 75kWp de potência instalada) é de no máximo 34 dias, não incluindo o tempo necessário às eventuais adequações por parte do consumidor. Já para sistemas de minigeração (de até 5MWp), esse prazo passa a ser de 49 dias, caso não haja
necessidade de obras de melhoria ou reforço no sistema de distribuição.

Não. O sistema adotado no Brasil é o de compensação energética, sendo vetada a venda da energia gerada.

Neste caso, o excedente é calculado como crédito e poderá ser descontado em contas futuras, ao longo de 5 anos. Isto é, caso a geração de algum dos meses seguintes seja menor que o consumo, os créditos pendentes serão utilizados para compensação.

Não é possível zerar a conta de energia, mas pode-se pagar um valor mínimo.

Como a instalação ainda estará conectada à rede da concessionária, será necessário pagar uma espécie de "assinatura" por ter esta infraestrutura disponível. Esta assinatura, denominada “custo de disponibilidade” ou “demanda contratada”, será cobrada mesmo que a geração seja maior que o consumo. Dessa forma, o sistema poderá ser dimensionado para o consumo médio anual menos este custo mensal, que se dá da seguinte forma:

* Consumidores do grupo B (baixa tensão) pagam no mínimo: 100 kWh (entrada trifásica); 50 kWh (entrada bifásica); e 30kWh (entrada monofásica).

* Consumidores do grupo A (média tensão) pagam no mínimo a Demanda contratada.

Ao final da instalação do sistema, a concessionária irá instalar um medidor especial – bidirecional – que será capaz de identificar tanto a energia consumida, quanto a energia injetada na rede.

Neste medidor, basicamente serão exibidos o consumo de energia proveniente da concessionária e a geração de energia injetada na rede. A cobrança de conta de luz será a diferença desses valores (consumo – geração). Caso haja um excesso de geração, serão acumulados créditos para serem utilizados posteriormente.

Não. Esta costuma ser a maior dúvida quanto aos sistemas conectados à rede (grid-tie).

De acordo com as normas vigentes, o sistema deve interromper o fornecimento de energia caso ocorra
uma queda na rede da concessionária. Mesmo que a potência do sistema seja suficiente para atender as
cargas que estão sendo utilizadas no momento, a energização do sistema poderia ir para a linha de
distribuição pública, colocando em risco a equipe de manutenção da concessionária.

É a produção de energia elétrica para consumo próprio (seja para pessoas físicas ou jurídicas) a partir de fontes renováveis de energia, instaladas no próprio local de consumo ou remotamente.